sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Os "Pés de Lotus"

Pés de lotus era uma costume antigo e bizarro que se usava na China antigamente no qual se amarravam os pés das mulheres para que eles atrofiassem e ficassem em forma de uma flor de lotus , garantindo status e um bom casamento . Confiram esse texto  com leve toque de humor , extraido do site lolhehehe.com:



Homens reparam nos pés femininos.

Alguns com menos intensidade, outros com fervoroso amor, mas todos reparam.

No entanto, na China Imperial o fascínio por pés teve proporções maiores do que qualquer ocidental poderia imaginar.






Os pés femininos, para serem considerados perfeitos, deveriam se assemelhar a uma flor de lótus.

Desse modo, deveriam ser minúsculos e curvados como a lua, fazendo com que as moças tivessem um andar por vezes desequilibrado, porém, gracioso.




O hábito de enfaixar os pés femininos teve inicio por volta do século X e durou por mais de mil anos.

Os pequenos e curvados pés eram eróticos, a sensualidade das mulheres era inversamente proporcional ao tamanho de seus sapatos. Ter pés pequeninos e curvados demonstrava classe e pureza, além de explicitar a fragilidade da mulher e sua submissão ao homem.



Ter uma esposa ou concubina dotada de pequeninos pés era, também, sinônimo de status. Isso porque tais senhoras eram impossibilitadas de realizar qualquer tipo de trabalho, pois não conseguiam andar normalmente, sendo necessário contratar empregados para cuidar dos afazeres domésticos.

Desse modo, ter pés minúsculos era uma oportunidade de se ter um bom casamento e, por isso, apesar do hábito ter sido iniciado na nobreza, logo se espalhou por todas as classes sociais.





A prática consistia em curvar os dedos para dentro e amarrá-los com ataduras suficientemente fortes para quebrar os ossos e interromper o crescimento dos pés.

Costumava-se realizar o procedimento a partir dos três anos de idade.




Passo a passo (não tente fazer isso em casa):

Os pés eram mergulhados numa mistura de ervas e sangue de animais;
As unhas eram cortadas para impedir que, ao crescerem, propiciassem algum tipo de infecção;
Os pés eram massageados (nessa altura a garota devia achar que ganhou um dia de princesa, tadinha);
As ataduras eram mergulhadas na mesma mistura em que foram mergulhados os pezinhos;
Os dedos eram dobrados para dentro e então pressionados com força para baixo, sendo espremidos contra a sola do pé e então amarrados pela bandagem.

Quando o procedimento era bem sucedido, os pés chegavam a medir cerca de 7,5 centímetros.




Ao longo do crescimento dessas meninas, os ossos dos pés ficavam cada vez mais atrofiados.
No entanto, a dor e a dificuldade de locomoção não cessavam com o tempo. As ataduras eram constantemente retiradas, as unhas cortadas e então uma nova bandagem era feita, ainda mais apertada.

Logo após todo esse procedimento, as garotas eram obrigadas a caminhar para que o peso do corpo esmagasse os dedos e propiciasse a tão desejada forma de lótus.

Tinham sorte se os dedos gangrenassem e caíssem de uma vez, pois assim o tamanho dos pés seria ainda menor.





Muitas mulheres se habituavam a andar de joelhos pela casa, para que não tivessem que se apoiar nos frágeis pés.

O fim do costume

Ao que tudo indica, depois de uma derrota numa batalha naval, o conselheiro do Imperador disse que a causa seria o fato das mães dos ingleses e americanos não enfaixarem os pés, gerando, assim, filhos mais fortes.




Houve, portanto, a edição de um decreto em 1911 proibindo a prática.

No entanto, como é sabido, nenhum decreto ou lei é capaz de mudar costumes de forma tão impositiva.

Assim, em muitas províncias ainda se mantinha o status acerca das mulheres de pequenos pés.

O fim definitivo desse hábito só ocorreu com o advento da revolução comunista, que passou a considerar tais mulheres como sinônimo do antigo regime, proporcionando escárnio contra essas pobres senhoras.

Hoje, devido aos genes highlanderzísticos dos chineses, ainda restam muitas idosas com os pés deformados pela prática.




"Doía tanto, que durante a noite eu libertei meus pés para, em segredo, esfregá-los. Quando meus pais descobriram, levei uma surra. Depois disso, eles costuraram a bandagem, para que eu não pudesse desfazê-la jamais."

Zhang Huaixian – Senhora chinesa que teve, aos três anos de idade, os pés enfaixados pelos pais.

5 comentários:

  1. Um costume bizarro, oriundo de um machismo estúpido.

    ResponderExcluir
  2. coitado dos pes dessa mulher acho que te pe pequno nao significa nada o pe nao mostra o carater de uma mulher sao suas atitudes era suas atitudes dela que delicadesa e fina qualidade

    ResponderExcluir
  3. E as feministas ocidentais criando uma verdadeira "inquisição contra o macho" por coisas banais as quais não se comparam com as atitudes das próprias feministas nem a quilômetros de distância. Vendo isso me lembro de um frase que dizia "Os chineses são os homens doentes do Oriente".

    ResponderExcluir
  4. Não onde estão enxergando flor de lotus nesses pés......estão mais para pés de porco....costume estúpido e nojento, pobre dessas mulheres.

    ResponderExcluir